O Engima de Andrômeda (Resenha)

Em O Engima de Andrômeda (Editora Aleph, 2018), o autor Michael Crichton se mostra um profundo conhecedor de conceitos científicos, imaginando os detalhes de uma misteriosa doença que surge na pequena cidade de Pidmont (Califórnia) após a queda de um satélite que fora projetado com o objetivo de identificar possíveis formas de vida alienígena no no espaço.

Ao chegar em Piedmont, um grupo de quatro renomados cientistas encontram apenas dois sobreviventes: um idoso viciado e um bebê em perfeitas condições. Diante do mistério que cerca essa implacável e misteriosa doença, o governo dos EUA inicia o protocolo ultrassecreto Wildfire, criado há muito tempo para tratar ameaças biológicas desconhecidas.

Assim, os cientistas são enviados a um laboratório secreto subterrâneo equipado com um dispositivo de autodestruição atômica que pode ser acionado caso haja contaminação. Usando o que há de mais moderno em tecnologia, os cientistas analisam as amostras e os pacientes a fim de entender a doença e evitar uma possível catástrofe biológica global. Entretanto, o Enigma de Andrômeda se mostra além de toda a ciência, o que exigirá dos cientistas grande capacidade intelectual e, principalmente, muita inteligência emocional.

Eu li a obra no meu Kindle.

Nesta magnífica obra de ficção, publicada originalmente em 1969 com o título de Andromeda Strain, Michael Crichton (1942-2008) nos entrega uma obra digna de uma adaptação cinematográfica, assim como aconteceu com Jurassic Park (1990), outra grande obra do autor e que inspirou o filme homônimo de 1993. Além do drama e do mistério que prende a atenção do leitor, a obra possui um rigor científico que remete ao gênio Arthur C. Clarke, apresentando conceitos de biologia e química de uma maneira simples e didática.

Confesso que esperava mais no final, visto que o autor sugere (ou promete )algo implícito durante a trama, o que não acontece. Mesmo assim, é uma obra de ficção que vale a pena ler. Recomendo!

About Jorge Luís Gregório

Professor e entusiasta de tecnologia, estudioso da cultura NERD e fã de quadrinhos, animes e games. Mais um pai de menino, casado com a mulher mais linda da galáxia e cristão convicto. Gosto de ler ficção científica e discutir tecnologia, filmes, seriados, teologia, filosofia e política. Quer falar sobre esses e diversos outros assuntos? Venha comigo!

View all posts by Jorge Luís Gregório →