Poeira Lunar (Resenha)

Publicado originalmente com o título “A Fall of Moondust” em 1961, oito anos antes da chegada do homem a Lua, Poeira Lunar (Editora Aleph, 2018) é uma das geniais e indispensáveis obras do célebre escritor de ficção Arthur C. Clarke. Outras obras importantes do autor são: 2001: uma odisseia no espaço, Encontro com Rama e O fim da Infância.

Em Poeira Lunar, a humanidade conquistou o sistema solar, habitando, além da Terra, a lua e outros planetas. Nosso satélite natural, além de habitado, tornou-se um dos pontos turísticos mais procurados pelos habitantes da Terra.

Em uma das viagens turísticas pelo Mar da Sede, uma região lunar com grande quantidade de um tipo de poeira que apresenta propriades de sólidos e líquidos, o veículo lunar Selene, comandada pelo jovem capitão Pat Harris fazia mais uma de suas rotineiras viagens turísticas. Entretanto, após um raro evento tectônico, a Selene é soterrada por uma grande quantidade de “poeira lunar”, fazendo com que fique icomunicável. Enquanto os cientistas da Lua, da Terra e das estações espaciais lutam para encontrar Selene e reestabelecer a comunicação com o veículo lunar, sua tripulação e seus passageiros lutam desesperadamente para sobreviver. Além de racionar água, alimento e energia, tripulantes e passageiros são submetidos a diversos tipos de situações em que a inteligência emocional será levada ao limite.

Clarke é conhecido não apenas por seu talento literário, mas por manter um estilo sóbrio e coerente em sua escrita, apresesentando um rigor científico que impressiona, fazendo com que o leitor se divirta e ao mesmo tempo aprenda conceitos importantes de ciência.

Em Poeira Lunar não é diferente. Além de explorar diversos temas científicos sobre a Lua e a física em geral (conhecimentos disponíveis em 1961), o autor explora diversos aspectos do comportamento humano. A obra nos apresenta personagens arquétipos que encarnam a vaidade, o egoísmo, a frustração, o amor e o ego.

Meu exemplar digital de Poeira Lunar (Amazon Kindle)

Apesar de usar diversos conceitos científicos em suas narrativas, a leitura é simples, fluida e rápida, fazendo com que seja uma obra acessível a todos que gostam de obras de ficção. Acredito que Poeira Lunar mereça uma adaptação para o cinema, visto que, apesar de ser escrita em 1961, é uma obra surpreendente, imprevisível e muito distante dos muitos clichês que permeiam as obras de ficção comtemporâneas. Recomendo!

About Jorge Luís Gregório

Professor e entusiasta de tecnologia, estudioso da cultura NERD e fã de quadrinhos, animes e games. Mais um pai de menino, casado com a mulher mais linda da galáxia e cristão convicto. Gosto de ler ficção científica e discutir tecnologia, filmes, seriados, teologia, filosofia e política. Quer falar sobre esses e diversos outros assuntos? Venha comigo!

View all posts by Jorge Luís Gregório →